Sim, eu li um livro de youtuber

Desculpa, mundo, eu li um livro de youtuber. E sim, eu tenho mais de 15 anos. E gostei. Foi mal, sociedade, mas todo mundo tem uns detalhes de personalidade que são reprováveis! Quem tem o gosto impecável pra todo tá mentindo e eu é que não caio nessa áurea cult hipster diferentão que só consome livros e filmes aplaudidos pela crítica especializada.

Em minha defesa, a youtuber em questão fala com o meu público, sabe? Nós, classe média de vinte e poucos, na faculdade ou recém formados, essas coisas. Além disso, até onde todo mundo sabe a Julia Tolezano não pagou um ghost writer, ela sentou a bunda na cadeira e escreveu. Agora vamos deixar de justificativas, né? Li Tá Todo Mundo Mal, lançado mês passado pela Companhia das Letras, e foi uma delícia!

Todas as páginas tem aquele jeitinho Jout Jout, então se você curte o canal, a chance de gostar do livro é bem grande. Cada capítulo é uma crise dela (já adianto que tem um capítulo chamado “crise do pum quentinho”, melhor título de capítulo) e é impossível não se identificar ao menos com um dos pequenos grandes dramas que são abordados.

Tá-Todo-Mundo-Mal-Jout-Jout-Destacada-840x577

O começo foi um flashback para a minha pré adolescência! Nessa época da vida, eu juro pra vocês, a coisa MAIS importante do mundo é ter um namoradinho. Tudo que a gente faz é pra ser mais bonita, mais legal e mais apaixonante aos olhos dos meninos. Se a gente foge do padrão de beleza, somos renegadas, quando muito, ao posto de amiga. E isso é o fim do mundo. Ou a gente achava que era, até perceber que o futuro tava reservando coisas muito melhores do que rapazes de 13 anos com bigodinho fino.

A Jout Jout resume muito bem essa sensação boba e é incrível perceber como as grandes crises do presente se tornam bobagens no passado. Então, se você está meio desesperada(o) com a vida, o livro é uma ótima pedida. Ela também fala da crise de escolher o que quer fazer da vida, de quando ela desistiu de um emprego porque simplesmente viu que não era o que ela queria (sabemos que nem todos tem esse privilégio, afinal CONTAS, BOLETOS BANCÁRIOS INFINITOS) e várias histórias interessantes do namoro com o Caio.

Caio, aliás, é um ponto altíssimo do livro. A introdução feita por ele é de chorar de amores e é mágico ver o quanto os dois aprendem juntos na relação – é um exemplo de relação boa, construtiva, saudável. Vale olhar com atenção para a forma com que as pessoas crescem quando o namoro é bom.

Como nem tudo é perfeito, alguns momentos me causaram um pouco de incomodo porque ela passou a impressão de ser muito mimada, sabe? Mas assim, ela é um ser humano, tem defeitos e teve uma vivência diferente da minha, então tá tudo certo porque no fim das contas ela ajuda milhares de pessoas em crise e isso já torna Jout Jout maravilhosa.

Li o livro rapidinho, foi necessário apenas o horário de almoço durante uma semana. Recomendo fortemente que você reserve algumas horinhas da sua vida para ler Tá Todo Mundo Mal, especialmente se você está na bad e tá precisando colocar as coisas em perspectiva! Perca esse preconceito com livro de youtuber, pelo menos com esse. Tá bem? Então tá bem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *