Talvez você não seja tão legal assim

Pode até ser que você seja, mas se você tem tanta certeza assim de que é a pessoa mais legal, correta e decente que você mesmo conhece, tenha mais certeza ainda de que algo está bem errado. Calma, não tenho a intenção de ofender ninguém, mas esse é um questionamento que todo mundo deveria fazer o tempo todo.

É muito fácil ser desconstruído, descolado, jovem da geração Y (ou qualquer que seja a letra do alfabeto), especialmente se você é privilegiado em algum sentido. Sua vida é mais fácil do que a de muita gente e se te dói ouvir isso, eu sinto muito, mas privilégio é isso meu bem.

Acontece que a gente sempre precisa ser humilde o suficiente pra entender que talvez possa estar fazendo algo de errado e então mudar isso da forma como for preciso. Poucas pessoas têm a sorte de ter uma criação livre de preconceitos e estereótipos, mas isso também não pode ser usado como desculpa.

Crianças crescem com a certeza de que rosa é cor de menina e azul é cor de menino. Futebol? Coisa de moleque. Boneca? Guria. Menino chorar? Não pode. Falar sobre os seus sentimentos? Coisa de mulherzinha. Magro? Bom. Gordo? Ruim. Negro? Pobre. Asiático? Japa. Mulher? Frágil. Homem? Macho. Gay? Errado. Essa lista de absurdos infelizmente é muito mais extensa do que isso.

A coisa toda se repete tantas vezes e ao longo de vários anos, que se torna uma verdade para algumas pessoas. E é realmente um processo longo para desconstruir esse monte de mentira que passaram uma vida inteira contando para as pessoas.

Mas a pessoa que se considera o melhor e mais evoluído ser humano do planeta pode estar sendo preconceituosa e ruim com os outros, sem nem perceber e pelo simples fato de alguns valores estarem incrustados nela a ponto de passar batido. E todo mundo pode errar, até a pessoa mais livre de preconceitos e julgamentos que você conhece.

Às vezes o cara pode se considerar super ~desconstruído~ mas sem pensar muito faz uma comentário completamente sexista. A menina pode ser incrível, mas chamou outra mulher de vagabunda – pense, uma mulher fazendo comentário machista é de querer deitar no meio da rua e chorar. Tem gente que teve uma educação super privilegiada, fez intercâmbio, foi pra Disney mais vezes do eu fui à praia, mas na hora de se referir a alguém negro chamou de ‘moreninho’. O cara pode ser uma pessoa gente boa, mas falou que moda era coisa de ‘viadinho’.  A pessoa pode ser ótima, mas falou que todo asiático é igual. O moço pode ser muito culto, mas postou meme na Internet sobre todo árabe ser terrorista.

Se essa lista, que convenhamos foi apenas um pequeno exemplo de quão horroroso o ser humano consegue ser, soou como brincadeira ou bobagem para você, com certeza você não é tão sem preconceitos assim e nem tão legal.

Vou repetir, todo mundo está sujeito a isso e justamente por esse motivo, a gente precisa sempre olhar pro próprio umbigo e perguntar: Em que eu poderia ser melhor como pessoa? Isso é preconceito? Tá certo isso que eu penso? Essas dúvidas são bem importantes nesse processo de evolução como ser humano. Ficou com dúvida? Chega e pergunta com educação, que além de não ofender, contribui para deixar a sociedade menos horrível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *