O lado do aborto que não te interessa

Todo mundo quer ser contra o direito da OUTRA MULHER abortar…

Mas ninguém quer adotar a criança se ela for para um orfanato. “Não é problema meu” “Quem mandou abrir as pernas?” Com isso só fica evidente que os defensores da “vida” na verdade só são contra a sexualidade da mulher. Argumentam como se um filho fosse uma punição para fazer sexo (só a mulher, pq quando o filho, o irmão, o cunhado, o amigo abandonam uma mulher grávida usam vários argumentos para justificar, pedem que não julguem e que entendam o motivo: “homem é assim mesmo”).

Ilustração: Amanda Konishi

Gravidez não é punição, ter um filho é algo MUITO sério e exige responsabilidade). Um feto de até 12 semanas ((lembrando que isso é período máximo para um aborto, a ideia é que seja menos que isso) não é nem nunca sera um bebê, é um feto incompleto, um ser humano EM FORMAÇÃO. Se importar com isso mais do que com a vontade de uma mulher que já NASCEU é mesquinho.

O Brasil é um país retrógrado, fundamentalista, preconceituoso e que nunca vai pra frente pois falta empatia de um modo geral. Ninguém se importa com uma criança abandonada, ninguém se importa com uma mulher que não quer ter filhos (se a eficácia de cada método anticoncepcional não é 100%, dizer que só engravida quem quer é burrice pura.)

Não curte aborto, não faça. Chamar mulher que aborta de assassina é colocar tua religião na frente da liberdade das outras pessoas.

 

por Automatic Woman 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *